quarta-feira, 10 de julho de 2013

Dicionário Saúde e Fisioterapia

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ


F


Formação óssea heterotópica crescimento ósseo anormal nos tecidos moles; complicação secundária potencial após a lesão da medula espinhal; ocorre abaixo do nível da lesão. Sin.: osso ectópico.
Forno de Bier dispositivo em forma de túnel guarnecido de fontes de calor utilizado para aquecer partes do membro inferior, colocando o dispositivo em cima da parte a ser aquecida, geralmente um membro inferior.
Fosfocreatina (FC) creatina fosfato; composto energético rico que desempenha um papel crítico na provisão de energia para a contração muscular.
Fraqueza por alongamento enfraquecimento de músculos que são habitualmente mantidos em posição alongada para além de seu comprimento de repouso fisiológico.

Fratura 1. lesão grave de partes moles, com uma falha óssea subjacente; 2. quebra total ou parcial de um osso, provocada, na maioria das vezes, por uma ação brusca e violenta.
Fratura de fadiga (por stress) fratura que aparece após traumatismos repetidos, sobretudo nos membros inferiores.
Fratura em ramo verde fratura sem deslocamento dos segmentos, observada, sobretudo, nas crianças. Acompanhada de importante reação do periósteo com a constituição de um calo fibroso fusiforme.
Fratura em lágrima tipo explosivo de fratura da região cervical; produz uma esquírola óssea anterior-inferior característica; o fragmento assemelha-se a uma "lágrima", aos raios X; associada a forças de flexão e compressão.
Fratura epifisária fratura situada na epífise de um osso longo.
Fratura exposta fratura na qual uma ruptura na pele e nos tecidos moles subjacentes comunica a fratura ao meio ambiente.
Fratura fechada fratura comum na qual as partes moles não apresentam comunicação com o meio exterior.
Fratura patológica 1. aquela que se instala em um osso previamente acometido por uma lesão neoplásica benigna, maligna ou pseudotumoral; 2. fratura que ocorre numa lesão óssea preexistente, espontaneamente ou após um mínimo traumatismo.
Fratura subcapital fratura do fémur cujo traço está localizado imediatamente abaixo da cabeça do fémur.
Fratura trimaleolar fratura dos dois maléolos medial e lateral, e da borda posterior da tíbia (designada, às vezes, sob o nome de "terceiro maléolo de Destot").
Frêmito vocal ou tátil vibração que pode ser sentida na parede torácica quando uma pessoa fala.
Frenolabial terapia de desinsuflação. Consiste em expirar lentamente e com os lábios franzidos.
Frequência 1. número de repetições regulares de um dado acontecimento; 2. número de ciclos completos de uma forma de onda repetitiva durante 1 segundo; medida em Hertz (Hz).
Frequência cardíaca de reserva (FCR) máxima diferença entre a frequência cardíaca de repouso e a frequência cardíaca máxima.
Frequência cardíaca máxima prevista para a idade maior frequência cardíaca atingida durante o exercício máximo; geralmente considerada 220 menos a idade do indivíduo (em anos).
Frequência cardíaca padrão frequência cardíaca predeterminada para ser obtida durante o exercício.

Frequência da passada frequência em que as passadas são realizadas. O inverso da frequência da passada é o tempo que se leva para completar uma passada.
Frequência de disparo frequência com que os neurónios disparam os potenciais de ação; frequência dos potenciais de ação. A unidade de medida é Hertz (Hz).
Frequência de exercício número de vezes que um exercício é feito dentro de um dia ou dentro de uma semana.
Frequência respiratória número de respirações por minuto. Inspirações ou expirações devem ser contadas, mas não ambas. A frequência respiratória normal de um adulto é de 12 a 18/minuto. A frequência deve ser contada durante 30 segundos e multiplicada por 2. Caso seja observada qualquer irregularidade, está indicada uma segunda contagem (integral) de 60 segundos.
Fricção resistência ao movimento relativo de um corpo que desliza, rola ou flui sobre um outro corpo que está em contato com ele.
Função afetiva habilidades afetivas e estratégias de lidar com as dificuldades necessárias para tratar com os stresses diários, bem como com os eventos mais traumáticos e difíceis que cada pessoa encontra ao longo de sua existência.
Função física habilidades sensoriomotoras necessárias ao desempenho das atividades diárias usuais.
Função mental capacidades intelectuais ou cognitivas de um indivíduo, incluindo iniciativa, atenção, concentração, memória, solução de problemas, e julgamento.
Função social capacidade de interagir com sucesso com outras pessoas no desempenho de papéis e obrigações sociais; envolve interacções sociais, comportamento e papéis.
Funcional relacionado com a função ou o uso, útil; p. ex., colocar blocos coloridos em forma de brinquedo pode não ser uma tarefa funcional para um adulto com atraso mental, mas colocar as moedas certas nas máquinas de refrigerantes leva ao objetivo.
Funcionalidade prática das tarefas funcionais específicas para as quais o paciente é treinado.
Fusiforme forma característica por ser mais grossa no meio do que nas extremidades.

Fuso muscular receptor sensorial intramuscular que monitoriza mudanças inesperadas no comprimento do músculo. É arranjado em paralelo com as fibras musculares esqueléticas.



ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ


Sem comentários:

Publicar um comentário