domingo, 10 de novembro de 2013

Reabilitação de uma ruptura distal do bicípite cirurgicamente reparada – estudo de caso clínico

A ruptura completa do tendão distal do bicípite braquial é relativamente rara (cerca de 3%. 96% são na cabeça longa e 1% na cabeça curta) e há pouca informação para orientar os fisioterapeutas na reabilitação após a lesão e reparação cirúrgica subsequente.

O mecanismo mais comum de lesão é uma única carga inesperada colocada sobre a articulação do cotovelo. 

Sente-se um “pac” que é audível seguido pela formação de contorno anormal da face anterior do braço. 

A perda de função é substancial, havendo perda total de torque produzido pelo bicípite braquial e a recuperação pode ser lenta.



Os dois tipos de procedimentos cirúrgicos usados são a técnica de incisão única e a técnica de incisão dupla (Figuras 2 e 3).
 

A reabilitação pós-cirúrgica normalmente segue duas fases:
  1. Imobilização (primeiras 6 semanas de pós-operatório)
  2. Fortalecimento/alongamento (dos músculos atrofiados e eventual regresso a actividades funcionais)

A descrição do protocolo de reabilitação utilizado neste estudo de caso pode ajudar a guiar os fisioterapeutas na reabilitação de um paciente com uma ruptura de tendão distal do bicípite braquial que foi reparado cirurgicamente.

Apresentação de caso clínico


  • Homem, de 38 anos, que fazia treinos de resistência 4-5x/semana.
  • Foi submetido a reparação cirúrgica do tendão distal do bicípite direito após um acidente de bungee jumping.
  • A cirurgia foi realizada 15 dias após a lesão inicial usando uma técnica de incisão única.
  • O paciente apresentou-se na fisioterapia com o cotovelo a 90º, numa cinta de apoio, e com indicação do médico para não realizar flexão ativa do cotovelo ou supinação de antebraço. 
  • O exame físico da região lesada revelou uma deformidade visível e palpável do ventre do músculo bicípite braquial, principalmente na região distal, com uma pequena cicatriz na fossa antecubital direita, onde o tendão do bicípite tinha sido reparado cirurgicamente, sem quaisquer sinais de infecção.
  • A amplitude de movimento ativa foi avaliada bilateralmente, revelando limitações significativas quando comparado com o lado contralateral, com dor de 3/10 nos finais de amplitude de movimento.
  • Não foram realizados testes de força muscular na primeira avaliação por indicação médica.


Tratamento


Foram feitas pequenas adaptações ao protocolo inicialmente sugerido pelo médico assistente:
Descritas no anexo:


Resultados


Na oitava semana, o paciente relatou que tinha pleno funcionamento do braço e não tinha défices em nenhuma das atividades da vida diária (AVD).


Conclusão


Neste estudo de caso, a taxa de evolução na amplitude de movimento do cotovelo foi mais rápida do que o que se estava à espera pelo protocolo estabelecido, o que levou os autores a realizar exercícios que permitiram avançar para o fortalecimento da musculatura da parte superior das costas e cintura escapular, limitando qualquer exercício que envolvesse o bicípite.

Embora o plano global de tratamento não tenha diferido significativamente do protocolo médico solicitado, é opinião dos autores que a amplitude de movimento completa pode ser alcançada antes da 6ª semana de reabilitação, e, portanto, iniciada uma lenta transição para fortalecimento do bicípite braquial em segurança.


Horschig A, Sayers SP, Lafontaine T, Scheussler S. Rehabilitation of a surgically repaired rupture of the distal biceps tendon in an active middle aged male: a case report. Int J Sports Phys Ther. 2012 Dec;7(6):663-71.


6 comentários:

Miguel Silva disse...

Boa tarde, fiz uma rotura no bicep do braço esquerdo aproximadamente á1ano , fiz muitas sessões de fisioterapia , gastei uma fortuna mas tudo sem sucesso . Sou praticante de musculação e não imagina o quanto é difícel para mim, olhar para o meu braço e ver uma diferença tão grande de um bicep para o outro. Agradecia ser ajudado neste sentido , ou aconselhado ao que fazer para recuperar novamente meu bicep.
Nuno Silva

Trabalho de marcenaria disse...

Olá! Fez algum procedimento para esticar o biceps? Passo pelo mesmo problema. Tem 1 mês que rompi o meu biceps direito! Vamos nos falando. Boa sorte!

Trabalho de marcenaria disse...

Olá! Fez algum procedimento para esticar o biceps? Passo pelo mesmo problema. Tem 1 mês que rompi o meu biceps direito! Vamos nos falando. Boa sorte!

claudio lusa disse...

SÓ CIRURGIA RESOLVE E MUITA , MAS MUITA FISIOTERAPIA. TIVE RUPTURA TOTAL DE BICEPS, OASSEI POR PROCEDIMENTO CIRURGICO POR ESPECIALISTA OMBRO COTOVELO, E AGORA ESTOU FAZENDO FISIO PRA RECUPERAÇÃO DOS MOVIMENTOS, É LENTO MAS É NECESARIO, CASO OPTEM POR NAO FAZER A CIRURGIA , HAVERA COMPROMETIMENTO NA FORÇA, E VALE SALIENTAR QUE APÓS SEIS SEMANAS Q OCORRE A LESÃO, O NERVO ATROFIA E FICA IMPOSSIVEL DE REALIZAR CIRURGIA, PORTANTO, A PROCUR POR AJUDA DEVE SER NO MAXIMO ATÉ A SEXTA SEMANA.

claudio lusa disse...

SÓ CIRURGIA RESOLVE E MUITA , MAS MUITA FISIOTERAPIA. TIVE RUPTURA TOTAL DE BICEPS, OASSEI POR PROCEDIMENTO CIRURGICO POR ESPECIALISTA OMBRO COTOVELO, E AGORA ESTOU FAZENDO FISIO PRA RECUPERAÇÃO DOS MOVIMENTOS, É LENTO MAS É NECESARIO, CASO OPTEM POR NAO FAZER A CIRURGIA , HAVERA COMPROMETIMENTO NA FORÇA, E VALE SALIENTAR QUE APÓS SEIS SEMANAS Q OCORRE A LESÃO, O NERVO ATROFIA E FICA IMPOSSIVEL DE REALIZAR CIRURGIA, PORTANTO, A PROCUR POR AJUDA DEVE SER NO MAXIMO ATÉ A SEXTA SEMANA.

Unknown disse...

Fiz uma cirurgia do tendão distal ropitura total incisão única ponto entre ossos 4 meses voltei ao trabalho é duas semanas voltei ao.trabalho gracas a fisioterapeuta que é recente

Enviar um comentário