quinta-feira, 31 de julho de 2014

O que esperar da 1ª consulta em fisioterapia

Talvez por só recentemente termos começado a ser considerados como profissionais de saúde de primeiro contacto nem sempre é fácil orientar uma 1ª consulta em fisioterapia. Assim como muitos pacientes ainda ficam com dúvidas sobre o que será relevante referir ou não numa consulta com o fisioterapeuta.

Para o paciente, a 1ª consulta de fisioterapia começa quando se senta no gabinete e conta porque veio. Para o fisioterapeuta essa mesma consulta começa quando observa o paciente a levantar-se da cadeira na sala de espera. É fundamental observar a linguagem não-verbal do paciente (se vem com a cabeça baixa, se tem uma passada decidida, se entra hesitante, etc).


É verdade que não é isto que determina o diagnóstico em fisioterapia, no entanto é determinante para saber como comunicar com esse paciente em particular, estabelecendo uma relação de empatia com ele, que por sua vez é fundamental para mais tarde o conseguir tranquilizar e motivar a colaborar na sua própria recuperação.

Para conseguir uma melhor gestão do tempo e fluidez da consulta, não criando barreiras entre mim e o paciente, adopto uma estrutura mais flexível e direccionada ao problema. Abaixo estão descritos os passos que fui desenvolvendo e que sigo na prática clínica privada.

  1. Registar a principal queixa do paciente, quando aconteceu, como aconteceu, como evoluiu até ao momento e como se encontra no momento da consulta.
  2. O que o paciente fez para melhorar (medicação, consulta com outro profissional de saúde, etc) e como resultou.
  3. Exames auxiliares de diagnóstico que tenha feito
  4. Antecedentes pessoais (outros episódios deste problema, outros problemas de saúde que possam estar relacionados)
  5. Observação de alterações posturais (aqui é realmente necessário deixar o paciente confortável, também através de uma temperatura e luz do consultório correctas, de forma a evitar constrangimentos e a permitir uma correcta avaliação)
  6. Identificação do movimento doloroso/limitado. Palpação. Determinação do sinal comparável.
  7. Execução de testes adicionais se necessário exclusão de outras condições clínicas com sintomatologia sobreponível.
  8. Diagnóstico em fisioterapia e elaboração do plano de tratamento e prognóstico de recuperação em conjunto com o paciente



2 comentários:

FISIOBRASIL CONSULTORIA disse...

Parabéns João! Aqui Henrique Alves da Revista FisioBrasil! Será um prazer compartilhar sua página com nossos seguidores na maior pagina de fisioterapia do mundo em rede social. Convido a participar de nosso editorial, assimo como já faz o Luís Coelho. www.fb.com/grupofisio

thiago nepomoceno disse...

Legal João, o que percebo é ainda falta de informação da população ao trabalho abrangente do fisio.

Enviar um comentário