terça-feira, 25 de setembro de 2012

Desenvolvimento motor normal da criança (0-12 meses)


 Recém-nascido

  • Postura global em flexão (nos bebés de termo). O bebé sente-se mais estável numa posição mais “enrolada” sobre si mesmo, com os membros bem junto ao tronco.
  • Quando está deitado de barriga para baixo o centro de gravidade está mais próximo da cabeça, e os membros inferiores estão geralmente dobrados, com as coxas junto à barriga.
  • Apresenta o reflexo de preensão palmar (que se mantém até aos 3-4 meses) e plantar (que se mantém até ao 9º mês). Este reflexo é forte, mas a posição do punho e dedos é influenciada pela posição da mão.
  • Reacção primária de apoio (presente até ao 2º mês), em que o bebé se tenta empurar para cima. Pode ser desencadeada com os joelhos, ancas e coluna.
  • Reacção de marcha automática (presente até ao 2º mês). A criança, quando colocada em pé, ligeiramente inclinada para a frente, dobra e estica as pernas de forma alternada.
  • Reacção de moro (presente até ao 4º mês). Observa-se geralmente quando o bebé roda a cabeça repentinamente ou quando ouve um barulho que o assusta. Os braços elevam-se e afastam-se do tronco, com as palmas das mãos viradas para a frente, para logo de seguida regressarem abaixo.
  • A criança não vê com muita nitidez, não dá atenção às mãos e os movimentos oculares são desorganizados. Sorriso endógeno.
-->


1º e 2º mês

  • Quando de barriga para baixo já tenta levantar o queixo. Quando segurado ao colo já consegue levantar a cabeça do ombro do adulto.
  • Movimentos amplos e com sequências variáveis dos membros.
  • A expressão progride para um sorriso por volta das 5-6 semanas
  • Quando deitado de barriga para cima a postura é mais estendida e assimétrica.
  • Quando deitado de barriga para baixo trabalha também na assimetria, não conseguindo levantar a cabeça na linha média.
  • Reflexo tónico cervical assimétrico. Quando o bebé roda a cabeça para um lado o braço desse lado estende-se e o do lado contrário dobra-se.
  • Não há dissociação dos olhos em relação à cabeça, mas já tem mais atenção, em especial a objectos em movimento.
  • Ao final do 2º mês caminha para uma visão mais central, pois já consegue controlar melhor a cabeça na linha média.
  • O bebé executa frequentemente movimentos circulares de pequena amplitude e velocidade moderada, conhecidos como fidgety movements.

3º mês

  • Por norma o bebé irá preferir ficar deitado de barriga para cima, pois permite maior liberdade de movimentos.
  • Começa a aproximar as mãos da linha média.
  • De barriga para baixo apoia os antebraços e faz extensão da cabeça e tronco superior. Aumento significativo do controlo da cabeça.
  • Sentado com apoio mantém por alguns instantes a cabeça rectificada. Quando balançado já consegue compensar a alteração do centro de gravidade através da alteração da posição da cabeça.
  • Agarra objectos e consegue traze-los à linha média, mas ainda não lhes dá atenção visual.
  • Fixa o olhar na mãe durante a alimentação. Segue o movimento dos adultos.
  • Sorriso social espontâneo. Primeiras explorações de objectos pela boca.

4º mês

  • Segura os objectos com ambas as mãos, conseguindo abrir e fechar a mão, mas ainda não liberta os objectos voluntariamente.
  • Segue bem com o olhar os objectos que se movimentam lentamente.
  • Reacção de extensão protectiva, quando sente que vai cair estende os braços à frente do tronco.
  • Quando deitado irá começar a “pontapear” o ar, o que funciona como uma preparação para a marcha.
  • Inicio do reflexo de Landau. Quando colocado suspenso na horizontal, com a barriga para baixo, irá fazer extensão da cabeça e tronco. Este reflexo vai-se tornando mais marcado até aos 6 meses.
  • Inicio da dissociação dos olhos relativamente aos movimentos da cabeça, acompanhando o maior controlo da cabeça e da cervical.

5º mês

-->
  • Maturação do reflexo de Landau.
  • Descobre os pés e começa a brincar com eles quando deitado de barriga para cima.
  • Empurram-se com os pés contra as superfícies, arqueando o tronco e a cabeça para trás.
  • Consegue levantar a cabeça quando deitado de barriga para cima.
  • Começa a assumir a posição de sentado por curtos períodos.
  • Consegue levar os objectos à boca com facilidade. Começa a transferir os objectos de uma mão para a outra, mas lentamente.
  • Deitado de barriga para baixo consegue facilmente levantar a cabeça e o peito. Pode até conseguir apoiar-se apenas num braço para alcançar um objecto com o outro.
  • O aumento dos campos visuais desperta maior curiosidade e exploração por parte do bebé.

6º mês

  • Quando suspenso no espaço as reacções de rectificação da cabeça e tronco já são eficazes, com resposta activa dos membros superiores e inferiores, ou seja, já tem reacções de equilíbrio automáticas.
  • Aumento da força e controlo postural. Quando deitado de barriga para cima agarra e brinca com os pés.
  • Consegue brincar deitado de lado por longos períodos de tempo sem cair para a frente ou para trás.
  • Quando deitado de barriga para baixo, alonga um lado à medida que encurta o outro. Inicia-se o dissociar de uma perna da outra, preparando para o rastejar.
  • À medida que ganha mais controlo motor, faz esforços repetidos para trazer a bacia para trás, para tentar ficar de gatas.
  • Rola sozinho, quando deitado.
  • Senta-se por períodos mais longos e brinca nesta posição, por alguns momentos sem apoio.
  • Explora e tenta agarrar os brinquedos fora do alcance, daí que ainda caia bastantes vezes da posição de sentado.
  • Quando de pé balança-se activamente de baixo para cima.
  • Dirige as duas mãos aos objectos para de seguida os levar à boca.
  • Preensão de objectos pequenos.
  • Dá gargalhadas.
-->


7º ao 9º mês

  • Predomínio da posição de sentado. Tentam puxar-se para a posição de pé.
  • Reacções de equilíbrio desenvolvidas e eficazes quando sentado e deitado. Inicio das reacções de equilíbrio de gatas.
  • Aguentam-se sentados sem apoio das mãos, ficando livres para brincar.
  • Interage cada vez mais com o meio envolvente.
  • Inicia a transição de sentado para deitado de barriga para baixo. Coloca as mãos para a frente, mas não suporta o peso e cai para a frente.
  • Dá início ao rastejar.
  • Ao 8º mês a pega evolui de palmar (global) para digital (pinça com dois ou três dedos).
  • Aos 9 meses senta-se sozinho por 10-15 minutos, e consegue sentar-se de lado.
  • Move-se na posição de gatas, consegue alterar a posição das pernas, alongar-se para alcançar algum objecto ou para transferir os braços para um apoio mais elevado.
  • Depois de estar de gatas estende os joelhos e apoia-se apenas nos pés, apesar de não se manter nesta posição.
  • Desloca-se rolando ou rastejando, podem gatinhar, mas alguns só o fazem a partir dos 10/11 meses.
  • Alcança brinquedos de encaixe, mas ainda não consegue voltar a coloca-los no sitio.
  • Usa os braços para trepar e se colocar de pé, e aí fica com apoio.
  • Em pé, para aumentar a estabilidade, para além de alinhar as pernas com a bacia, encosta o tronco contra a superfície de apoio.
  • Desenvolve o equilíbrio em pé, volta a cabeça e o tronco para visualizar e explorar o ambiente.
  • Aponta com o indicador.
  • Procura e baixa-se para apanhar objectos.
  • Ao final dos 9 meses leva bolachas à boca, mastigando.
  • Coloca as mãos à volta do biberão ou copo.
  • Tem noção do objecto permanente, começando a criar ligações emocionais com pessoas e objectos.

10º ao 12º mês

  • Extensão da coluna lombar, sentado, de joelhos ou em pé.
  • Em sentado move bastante os braços, que também são usados como ponto distal para o equilíbrio.
  • Aumenta a rotação interna das ancas, permitindo sentar-se em W, uma posição de transição depois de gatinhar.
  • Gatinha e contorna obstáculos, maior facilidade e eficiência no sentar e de gatas.
  • Senta-se a partir de deitado de lado.
  • Ao trazer-se para de pé utiliza mais as pernas, empurrando-se.
  • Equilibra-se em pé por uns instantes.
  • Enquanto uns bebés iniciam cedo a estarem de pé sozinhos e a darem o seu primeiro passo, outros iniciam os passos antes de conseguirem manter-se sozinhos em pé. O primeiro passo pode ser um desafio e exigir toda a concentração por parte da criança, pelo que a motivação dos pais quando a criança começa a fazer as primeiras tentativas e muito importante.
  • Agarra pequenos objectos com um pinçar preciso.
  • Bebe por um copo com pequena ajuda. Segura na colher, mas não a usa.
  • Aponta para os objectos que pretende. Ajuda a vestir-se, dando a mão ou o pé. Diz adeus e bate palmas.
  • Começa a “dar”, faz jogos de imitação e obedece a ordens simples.
  • Marcha normal com ligeiro apoio.


Sem comentários:

Enviar um comentário