domingo, 28 de setembro de 2014

Dicionário Saúde e Fisioterapia

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ


V


Ventosa vaso cónico, de vidro ou plástico, que, aplicado sobre a pele, depois de nele se ter rarefeito o ar, promove oxigenação dos vasos sanguíneos e diminuição de aderências sobre a pele.
Ventrículo cavidade no interior do cérebro. Quatro ventrículos no cérebro produzem líquido cerebrospinal que circula por todo o sistema nervoso central.
Vénula menor ramo venoso do sistema vascular.
Vertigem alteração do equilíbrio caracterizado por uma sensação de instabilidade e de aparente movimento rotatório do corpo (vertigem subjetiva ou rotatória) ou dos objetos que o rodeiam (vertigem objetiva).
Vestibulocerebelo ocupa o lobo floculonodular do cerebelo; recebe impulsos dos núcleos vestibulares e envia eferências de volta aos mesmos núcleos.
Via ântero-lateral via ascendente que conduz informações principalmente sobre dor e temperatura com alguma informação tátil e proprioceptiva.


Via coluna dorsal-lemnisco medial via ascendente que distribui informações sobre a propriocepção e a sensação tátil nos membros.
Vias ascendentes conexões neurais que distribuem informações dos receptores sensoriais para os centros supra-segmentares.
Vias descendentes vias neurais que transmitem informações dos centros supra-segmentares para o tronco cerebral e medula espinhal.
Vias do grupo A vias descendentes que incluem os tratos vestibuloespinal, reticuloespinal e tectoespinal.
Vias do grupo B vias descendentes que incluem os tratos rubroespinal cruzado e reticuloespinal cruzado.
Vibração estímulo de alongamento intermitente de alta frequência e baixa amplitude, que produz o reflexo tónico de vibração (RTV) e que resulta numa contração muscular sustentada.
Vincent, Angina de (ou Doença de Vincent) é uma gengivite úlcero-necrosante aguda (GUNA), também conhecida como Infecção de Vincent ou Estomatite de Vincent; é uma inflamação bacteriana causada por fusoespiroquetas, geralmente de início agudo, caracteriza-se por gengivas inflamadas, dolorosas e sangrantes, com formação de ulcerações, especialmente entre os dentes, com exsudato purulento e acinzentado, hálito fortemente fétido. Aparece quase sempre em indivíduos com maus hábitos de higiene oral, imunodeprimidos ou incapacitados fisicamente.
Viscoelástico material que tem tanto propriedades elásticas quanto viscosas.
Viscosidade é a medida da sobrecarga de atrito que deve ser aplicada a um fluido para se obter uma taxa de deformação. A viscosidade varia com a temperatura e depende das forças coesivas entre as moléculas e o momento de troca entre si, em colisão.
VMS (volume médio simétrico) corrente despolarizada. Possui forma de pulso quadrado bifásico simétrico. Utilizada para electroanalgesia e electroestimulação excitomotora.
Volume corrente (VC) quantidade ar que um indivíduo inspira e expira durante um inspiração e expiração relaxadas.
Volume de reserva expiratória (VRE) quantidade máxima de ar que um indivíduo pode exalar após uma expiração relaxada normal.
Volume de reserva inspiratória (VRI) quantidade máxima de ar que um indivíduo pode inalar após uma inspiração relaxada.
Volume expiratório no primeiro segundo (VEF1) trata-se do volume de gás expirado 1 segundo após uma inspiração máxima. Pode ser registrado por um espirómetro. A sua média fornece informações sobre a resistência das vias aéreas do paciente, bem como sobre a retração elástica dos pulmões. A VEF1 será sempre reduzida quando houver um aumento na resistência das vias aéreas, independentemente do esforço expiratório.
Volume residual (VR) quantidade de ar que é deixada nos pulmões após uma expiração máxima.


ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ


Sem comentários:

Publicar um comentário