sábado, 27 de setembro de 2014

Dicionário Saúde e Fisioterapia

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ


T


Teste de Allen usado para determinar a patência das artérias que suprem a mão.
Teste de Burns o paciente fica ajoelhado sobre uma cadeira e é-lhe solicitado que apanhe objetos no solo, o que é possível por meio da flexão dos quadris, mesmo em pacientes com doenças da coluna lombar.
Teste de cronaxia serve como índice quantitativo de excitabilidade elétrica; calcula o tempo requerido por uma corrente elétrica (do dobro da força mínima necessária para provocar uma resposta umbral) para passar através de um nervo motor e provocar a contração do músculo inervado.
Teste de distração com o paciente sentado e as mãos do examinador no queixo e na região posterior da cabeça do paciente, realiza-se a distração da região cervical, a qual pode aumentar os espaços dos forâmenes laterais e aliviar a dor consequente à compressão radicular neste nível.


Teste de Ely avalia a presença de contratura do reto femoral da coxa, com o paciente em decúbito ventral flexiona-se passivamente o joelho. É positivo quando há uma flexão do quadril com elevação da hemipelve ipsilateral.
Teste de Gaenslen aquele em que o paciente é posicionado em decúbito dorsal com os quadris e os joelhos fletidos até a face anterior do tronco. Com uma das nádegas sem contato com a superfície de apoio da mesa de exame, o membro inferior do lado da nádega sem apoio é solto em direção ao solo, e a manobra é positiva quando se manifesta dor na região sacroilíaca.
Teste de Steimann avalia possíveis lesões meniscais do joelho. Com o paciente sentado sobre a mesa, joelhos fletidos a 90° e pendentes, faz-se rotação interna e externa da perna, segurando-o pelo pé. A presença de dor ou estalido na interlinha articular é sinal de lesão do menisco correspondente.
Teste de telescopagen avalia a instabilidade do quadril. Com o paciente em posição supina, manter o quadril a ser examinado em 90° de flexão. Ao exercer pressão no sentido longitudinal sobre a coxa, a cabeça femoral desloca-se no sentido ântero-posterior.
Teste de velocidade de condução nervosa realizado em tempo requerido para que um impulso se desloque entre os dois pontos de estimulação ao longo de um tronco nervoso, medido em milissegundos.
Teste de Watson avalia a estabilidade do escafóide. Realiza-se um desvio cubital no punho e, concomitantemente, pressiona-se o pólo distal ou a tuberosidade do escafóide. A seguir, o punho é lentamente desviado radialmente, ao passo que a pressão no pólo distal é mantida, tentando-se impedir sua flexão palmar. Quando o escafóide está instável, o pólo proximal subluxa dorsalmente e a manobra torna-se dolorosa.
Teste do bíceps (Speed, Palm up test) indica a presença de alterações da cabeça longa do bíceps e é realizado pela flexão ativa do membro superior, em extensão e em rotação externa, contra a resistência oposta pelo examinador; o paciente acusa dor ao nível do sulco intertubercular com ou sem impotência funcional associada.
Teste do subescapular de Gerber (lift off test) o paciente coloca o dorso da mão ao nível da L5 e pra ara ativamente afastá-la das costas, fazendo uma rotação interna com o braço. A impossibilidade de executar essa manobra ou de conseguir realizar o afastamento passivamente pelo examinador indica uma lesão grave do nervo subescapular.
Tetanização indução à contração controlada de um músculo mediante a aplicação de numerosos estímulos em sucessão rápida.
Tetralogia de Fallot forma de cardiopatia congénita cianosante; as quatro anormalidades que constituem a entidade são: estenose pulmonar (geralmente infundibular), hipertrofia ventricular direita, defeito no tabique interventricular e dextroposição da aorta. Crê-se que isto se deve a um único erro embriológico, no qual o tabique se localiza em posição anterior anómala.
Tetraparesia atrofia ou paralisia parcial do corpo, do pescoço para baixo, inclusive nos quatro membros. Este termo é, às vezes, usado para descrever pessoas com paralisia cerebral que compromete os quatro membros, mas que têm certas habilidades preservadas.
Tetraplegia paralisia completa de todos os quatro membros e do tronco, inclusive dos músculos respiratórios, devido a lesões da medula espinhal.
Tetrodoxina droga que bloqueia a propagação de potenciais de ação pelo bloqueio dos canais de Na.
Tietze, Doença de (Síndrome de) caracteriza-se por dor no tórax na união das costelas com a cartilagem, pontos sensíveis à pressão; pode confundir-se com uma doença coronária; também conhecida como síndrome costocondral e condrite costal.
Tiragens retrações. Importante sinal de esforço respiratório. Excesso de pressão negativa suga a musculatura respiratória.
Titina proteína do citoesqueleto endossarcomérico que pode ser responsável pela elasticidade do músculo em repouso.
Tixotropia propriedade exibida por vários géis, como os músculos, de se tornarem fluidos quando agitados, misturados ou perturbados de alguma forma, e de voltarem novamente ao estado original após o repouso.


Tofos deposição de cristais de biurato de sódio próximo das articulações, nas orelhas ou nos ossos.
Tomografia computadorizada (TC) exame radiográfico computadorizado, por meio da transmissão de fotões de raios X e análise computadorizada.
Tónus muscular estado de contração parcial característico do sistema muscular e mantido, ao menos em parte, pelo bombardeio contínuo dos músculos por impulsos motores de origem reflexa. É importante nos músculos antigravitacionais. Estado de tensão de repouso e reatividade dos músculos ao alongamento passivo.
Tónus de base determinado pela avaliação do tónus em descanso e sob a mínima estimulação.
Tónus postural padrão de tónus ou tensão muscular existente por todo o corpo e que afeta grupos de músculos.
Toracotomia qualquer corte cirúrgico da parede torácica.
Torção força aplicada ao sistema musculo-esquelético de forma rotativa, criando um stresse de cisalhamento sobre todo o material. Pode gerar uma fratura ou lesão de menisco ou distensão cápsulo­ligamentar.
Torque força X distância perpendicular ou braço de momento. A mensuração faz-se em newtons metros.
Torque (Momento de força) o efeito giratório ou rotativo produzido pela aplicação de uma força. Quanto maior a distância perpendicular do ponto de aplicação de uma força até um eixo de rotação, maior o efeito giratório, ou torque, produzido. O torque é calculado pela multiplicação da força pela distância perpendicular desde o ponto de aplicação da força até ao eixo de rotação.

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ


Sem comentários:

Publicar um comentário