quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Dicionário Saúde e Fisioterapia

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ


R


Recíproco movimento em padrão alternado. A marcha recíproca é aquela em que um membro inferior se movimenta e, a seguir, o outro faz o movimento recíproco, seguindo o mesmo padrão de movimento.
Recorrência reaparecimento das manifestações de uma doença.
Recrutamento processo de ativação da unidade motora.
Recrutamento ordenado sequência de ativação das unidades motoras para uma tarefa específica que pode ser repetida.
Recuperação processo pelo qual o paciente volta a estar bem ou retorna a um estado hígido; restauração da saúde normal.
Redução aberta processo de redução cirúrgico do foco de fratura para alinhar o osso fraturado.


Redução fechada processo de alinhamento normal da fratura, geralmente quando o paciente está sob anestesia local ou geral, seguida da imobilização do membro.
Reeducação motora reaprendizagem de função, de movimento, através de exercícios terapêuticos.
Reflexo resposta motora involuntária a um estímulo, geneticamente definida.
Reflexo bulbocavernoso positivo é a pressão que se exerce sobre a glande do pénis ou do clitóris com o fim de contrair o esfíncter anal externo.
Reflexo de estiramento resposta de um músculo a um aumento súbito inesperado no seu comprimento. A resposta de feedback negativo ativa o músculo alongado para minimizar o aumento no seu comprimento.
Reflexo de Hoffmann resposta que é produzida artificialmente pela estimulação elétrica de um nervo periférico e a ativação seletiva dos aferentes do grupo Ia. O impulso aferente ativa moto neurónios homónimos e produz uma resposta de força. O reflexo de Hoffmann, ou reflexo H, é usado como teste do nível de excitabilidade de motoneurónios.
Reflexo de inibição recíproca decréscimo na excitabilidade dos motoneurónios que inervam um músculo antagonista devido ao alongamento dos músculos agonistas e à ativação dos seus aferentes do grupo Ia e dos interneurónios inibitórios Ia.
Reflexo de percussão do tendão subgrupo do reflexo de estiramento que envolve a resposta de um músculo à percussão do seu tendão. Os aferentes ativados durante a percussão do tendão são primariamente os aferentes do grupo Ia.
Reflexo de retirada flexora resposta reflexa da perna a um estímulo nocivo que é aplicado na parte posterior da perna.
Reflexo espinal (Reflexo elementar) é uma resposta motora involuntária a um estímulo organizado ao nível da medula espinal, como, por exemplo, a retirada flexora e o impulso extensor, em extensão cruzada.
Reflexo extensor cruzado resposta de extensão no membro contralateral a um estímulo nocivo que provoca um reflexo de retirada flexora.
Reflexo mioartrocinético reflexo neurofisiológico promovido pela aplicação de carga à cápsula articular e aos ligamentos; pode tanto facilitar quanto inibir a musculatura.
Reflexo palmar reflexo neonatal com um estímulo de pressão na base da articulação metacarpofalângica; a resposta é a de preensão dos dedos. Este reflexo é observado no desenvolvimento da criança normal até por volta dos 4 a 6 meses de idade.
Reflexo tónico cervical assimétrico (RTCA) a rotação da cabeça para a esquerda provoca a extensão do braço e perna esquerdos, com flexão do braço e perna direitos; a rotação da cabeça para a direita produz o padrão inverso.
Reflexo tónico cervical simétrico (RTCS) a flexão do pescoço resulta na flexão dos braços e extensão das pernas; a extensão do pescoço gera as respostas opostas.
Reflexo tónico labiríntico simétrico (RTLS) o posicionamento em decúbito dorsal produz um aumento no tónus extensor, ao passo que em decúbito ventral aumenta o tónus flexor.
Reflexos de tronco central (Reflexos posturais) reflexos organizados pelos centros de controlo da parte inferior do tronco cerebral; p. ex.: reflexos tónicos, labirínticos, tónicos cervicais, e reações associadas.
Reflexos primitivos são reflexos que aparecem antes do nascimento ou por ocasião do parto; ficam evidentes nos lactentes, normalmente por volta dos primeiros 6 meses de vida extra-uterina, e integrados aos padrões de movimentação normal, conforme o lactente se desenvolve durante o primeiro ano de vida.
Refluxo vesicoureteral fluxo retrógrado da urina da uretra para a bexiga.
Regra dos nove método de estimativa da quantidade de área da superfície corporal total que foi queimada. Divide o corpo em segmentos que são aproximadamente 9% do total.
Regulação processo de manutenção de um estado constante envolvendo um sistema que é capaz de acomodar distúrbios.
Reinervação estado em que o músculo ou fibra muscular é reconectado ao sistema nervoso pelo desenvolvimento de uma conexão funcional (sinapse).
Relação força X comprimento a força máxima que um músculo pode exercer varia como uma função do seu comprimento. Também chamada relação comprimento X tensão.


Relação força X velocidade efeito que a velocidade de mudança de comprimento do músculo tem sobre a força máxima que ele pode exercer.
Relaxamento estado que se segue ao período de contração muscular, quando ele retorna ao comprimento e ao tónus normais.
Remissão diminuição dos sintomas ou queda da gravidade de uma doença.
Remodelagem crescimento, reforço e reabsorção experimentados por um osso vivo.
Reobase força mínima de que um estímulo elétrico precisa para excitar um tecido, caso se permita que flua através dele durante um tempo adequado.
Reologia estudo das propriedades viscoelásticas do muco do trato respiratório.
Reorganização funcional teoria sobre a recuperação no sistema nervoso central (SNC) referente à capacidade do SNC para alterar a sua organização estrutural após uma lesão.
Repetição máxima (RM) maior quantidade de peso que um músculo pode mover na sua amplitude de movimento um número específico de vezes numa rotina de exercícios resistidos com carga.
Repetição mínima (Rm) menor quantidade de peso necessária para ajudar um paciente a erguer a parte corporal contra a gravidade um número específico de vezes numa rotina de exercícios assistidos com carga.
Repolarização retorno do potencial de membrana (polaridade) às condições de equilíbrio.
Resistência (Alongamento sustentado) carga externa aplicada ao músculo, e que resulta no recrutamento dos motoneurónios alfa e gama.
Resistência à fadiga habilidade de resistir ao cansaço.
Resistência à fadiga, cardiovascular habilidade dos pulmões e coração para captar e transportar quantidades adequadas de oxigénio para os músculos em trabalho, permitindo atividades que envolvam grandes massas musculares para serem realizadas em longos períodos de tempo.
Resistência à fadiga, geral (Total corporal) habilidade do indivíduo para sustentar exercícios de baixa intensidade, como caminhar, por um período longo de tempo.
Resistência à fadiga, muscular habilidade de um músculo para desenvolver contrações repetidas num período prolongado de tempo.
Resistência da pele oposição à condução elétrica, oferecida pelas células da pele e por outras substâncias sobre a pele, geralmente necessitando de alguma forma de preparação da pele anterior à aplicação de eletrodos de superfície.
Resistência das vias aéreas resistência ao fluxo do ar nos pulmões oferecida pelos bronquíolos.



ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ


Sem comentários:

Publicar um comentário