segunda-feira, 6 de maio de 2013

Dicionário Saúde e Fisioterapia

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ

D


Deambulação o mesmo que andar, passear, vaguear, caminhar. O modo de deambular de um paciente pode dar indícios de alguns distúrbios neurológicos ou farmacológicos. A deambulação claudicante caracteriza o indivíduo que tem comprometimento da marcha, por causas passageiras ou por causas mais profundas e duradouras
-->
Debilidade estado de fraqueza ou falta de forças, podendo ser: congénita — em recém-nascidos; constitucional — devido a uma deficiência crónica do organismo que vem desde a infância; mental — decorrente de uma deficiência de desenvolvimento da inteligência; motora — caracterizada por distúrbios de movimentação.
Débito cardíaco 1. quantidade de sangue que o coração põe em circulação por minuto ou por batimento; 2. volume de sangue bombeado de um ventrículo do coração por unidade de tempo; o produto da frequência cardíaca e volume sistólico.
Debridamento remoção da escara e/ou qualquer tecido de ferida.
Debridamento cirúrgico uso de tesouras e pinças estéreis para a remoção de escara.
Decúbito 1. ato de se deitar; refere-se também à posição deitada, ou seja: decúbito dorsal, ventral ou lateral; 2. posicionamento de quem está deitado.
Dedo 1. cada um dos cinco apêndices articulados e móveis da mão; 2. cada um dos cinco apêndices articulados do pé, também conhecidos como artelhos.
-->
Dedo em botoeira lesão do tendão extensor central na sua inserção na base da falange média. A incapacidade de extensão da IFP (movimento de extensão da articulação interfalângica proximal) provoca a flexão dessa articulação.
Dedo em garra deformidade com hiperextensão da articulação metatarsofalângica e flexão das articulações interfalângicas proximais e médias.
Dedo em gatilho afecção frequente caracterizada por um incómodo nos movimentos de um ou de vários dedos (espécie de salto que surge durante o movimento de extensão do dedo). Este salto é devido a um nódulo do tendão flexor, que incomoda o deslizamento da sua bainha fibrosa.
Dedo em martelo deformidade com hiperextensão da articulação; lesão do tendão do extensor terminal na sua inserção na falange distal. A incapacidade de extensão da IFD (movimento de extensão da articulação interfalângica distal) provoca a deformidade em flexão dessa articulação.
Dedo ou mão em golpe de vento deformação da mão por desvio de todos os dedos para seu lado ulnar. Característica da artrite reumatóide.
Dedos em formato de baqueta de tambor alargamento ou espessamento dos tecidos moles nas falanges terminais dos dedos da mão e do pé, visto geralmente em pessoas com doenças pulmonares crónicas.
Défice o que falta para completar determinada quantidade ou valor.
Défice de oxigénio período de tempo durante o exercício no qual o nível de consumo de oxigénio está abaixo do que se precisa para suprir todo o ATP necessário ao exercício.
Défice de pulso diferença entre os pulsos apical e radial.
Deficiência desvantagem social para um determinado indivíduo, resultante de um comprometimento ou incapacidade que limita ou impede a concretização de um papel ou tarefa considerada normal (relativamente a fatores etários, sexuais, sociais e culturais); termo geral englobando toda e qualquer perturbação ou limitação de uma estrutura anatómica ou de função fisiológica ou psicológica.
Deficiência das relações espaciais incapacidade em perceber o relacionamento de um objeto no espaço em relação a outro, ou a si próprio.
Deformação alteração formal ocorrente no material sujeito a uma carga, ou seja, sujeito à pressão; pode causar alongamento ou encurtamento da estrutura.
Deformidade 1. alteração na aparência de um segmento do corpo; p. ex.: joelho valgo, mão em garra, dedo em martelo etc.; 2. alteração na forma ou tamanho dos tecidos devido a doença, forças mecânicas anormais, distúrbios genéticos ou más formações.
Deformidade em pescoço de cisne deformidade do dedo, envolvendo hiperextensão da articulação interfalângica distal.
Degeneração ato ou efeito de degenerar. Consequência da alteração patológica da estrutura de uma célula, tecido ou órgão, com perda de suas características morfológicas e de suas funções.
Demência 1, síndrome caracterizada por distúrbio persistente da atividade intelectual, de caráter adquirido, produzida por disfunção cerebral e não decorrente de comprometimento do nível de consciência, de intensidade suficiente para interferir na atividade laboral e social; 2. estado mental deteriorante irrecuperável, com a ausência ou redução das faculdades intelectuais; associada à doença cerebral orgânica.
Demência senil variedade de demência progressiva que se instala entre 65 e 85 anos, ligada a lesões degenerativas neuronais do córtex cerebral.
Dendritos um dos dois processos protoplasmáticos de um neurónio, que serve para transmitir o impulso nervoso do corpo celular; o outro chama-se axónio.
Densitometria óssea determinação da densidade óssea pela medida da absorção dos fotões emitidos por uma fonte radioativa que atravessam o osso.
Dependência caso que exige algum tipo de ajuda humana.
Dependência química refere-se a alguém que depende do uso de substâncias químicas, que vão desde o álcool, até as drogas de uso ilícito, como a cocaína etc.


ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ


1 comentário:

Jonathan Pereira disse...

Olá...
Eu tive este problema na mão esquerda(dedo em martelo), foi no 5º dedo (mindinho), pontinha do dedo e o médico receitou que eu ficasse com a tala mais ou menos 8 semanas, fiquei e agora meu dedo está rígido, quais exercicios eu faço ?
att.

Enviar um comentário