quarta-feira, 1 de maio de 2013

Rutura do tendão de Aquiles


O tendão de Aquiles é uma parte importante da perna. Está localizado logo atrás e acima do calcanhar. Ele une o osso do calcanhar aos gémeos. A sua função é ajudar na flexão plantar (dobrar o pé para baixo).
As rupturas do tendão de Aquiles podem ser parciais ou totais. Numa ruptura parcial, o tendão sofre uma ruptura, mas ainda mantém a ligação entre o músculo e o osso. Nas rupturas completas, o tendão está completamente separado, deixa de haver conexão entre o músculo e o osso.
Estas rupturas são mais frequentes nos chamados "guerreiros de fim-de-semana" - normalmente, homens entre os 30 e os 50 anos, que praticam desporto nos tempos livres. Menos comummente, algumas doenças ou medicamentos, como corticóides ou certos antibióticos, podem enfraquecer o tendão e contribuir para a sua ruptura.

Sinais e sintomas/ Diagnóstico

  • Dor súbita, que se sente como uma pancada ou uma facada, na parte de trás do tornozelo
  • Sensação de estalo ou ruptura
  • Inchaço na parte de trás da perna entre o calcanhar e os gémeos
  • Dificuldade em caminhar (especialmente no subir escadas e rampas) e dificuldade em levantar-se em pontas dos pés.

Se o tendão está completamente rasgado, você pode sentir um vazio logo acima da parte de trás do calcanhar. No entanto, se se formar hematoma, o inchaço pode disfarçar a diferença. Se suspeitar de uma ruptura total do tendão de Aquiles, o melhor é consultar um médico com urgência, porque o tendão cicatriza tanto melhor quanto mais cedo for suturado.
O diagnóstico geralmente é feito com base nos sintomas, na história da lesão e numa avaliação clínica cuidadosa. Deve observar-se se você consegue ficar na ponta dos pés. O teste de Thompson, ou teste da compressão dos gémeos diagnostica uma ruptura total do tendão. Se não houver certeza no diagnóstico, uma ecografia ou ressonância magnética podem ajudar.

Tratamento

      O tratamento em fisioterapia, imediatamente após a lesão e enquanto o diagnóstico não está confirmado, consiste e controlar os sinais inflamatórios, através de:
  • Descanso: Evite caminhar ou estar muito tempo de pé. Se tiver de o fazer utilize canadianas. Andar a pé pode significar um agravamento da sua lesão.
  • Gelo: Aplique uma compressa de gelo na área lesada, colocando uma toalha fina entre o gelo e a pele. Use o gelo por 20 minutos e depois espere pelo menos 40 minutos antes de aplicar gelo novamente.
  • Compressão: um elástico pode ser usado para controlar o inchaço.
  • Elevação: O pé deve ser elevado um pouco acima do nível do seu coração para reduzir o inchaço.

Posteriormente as opções de tratamento incluem o tratamento conservador (não-cirúrgico), que é geralmente associado a uma maior taxa de reincidência, é seleccionado para rupturas parciais, em pacientes menos activos, ou naqueles com condições médicas que impedem a cirurgia. O tratamento não-cirúrgico envolve a imobilização com tala gessada, bota ou ligadura funcional durante aproximadamente 8 semanas, para permitir a reestruturação do tendão lesado.
O tratamento cirúrgico consiste na sutura dos topos rasgados do tendão, também se podendo usar um enxerto de outro tendão para ajudar a cicatrização. Após a cirurgia segue-se a imobilização com tala gessada, bota ou ligadura funcional durante aproximadamente 8 semanas. A cirurgia pode oferecer importantes benefícios. Além de diminuir a probabilidade de uma recidiva da ruptura, a cirurgia muitas vezes aumenta a resistência do paciente e melhora a função muscular e movimento do tornozelo.
Tanto no tratamento conservador como no cirúrgico, a fisioterapia é um componente importante do processo de tratamento. As técnicas que revelam maior eficácia nesta condição:
  • Exercícios para melhorar a flexibilidade, força e equilíbrio (incluindo exercícios em carga)
  • A aplicação de calor antes dos exercícios para aumentar a irrigação sanguínea e de gelo no final para prevenir sinais inflamatórios.
  • Educação do paciente e plano de retorno gradual à actividade.
  • Massagem de mobilização dos tecidos moles.


Exercícios terapêuticos para a ruptura do tendão de Aquiles

Os seguintes exercícios são geralmente prescritos na reabilitação de uma ruptura do tendão de Aquiles, quando o tendão já se apresente cicatrizado. Deverão ser realizados 2 a 3 vezes por dia e apenas na condição de não causarem ou aumentarem os sintomas.


  

Alongamento dos gémeos
De pé, com as mãos ao nível dos ombros apoiadas na parede. Colocar a perna a alongar esticada e atrás, dobrar à frente o joelho da outra perna, com as costas alinhadas. Mantenha essa posição por 20 segundos. Repita entre 3 a 6 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.







Extensão resistida do pé
Sentado com a perna esticada e o elástico na ponta do pé. Empurre o elástico para a frente, depois deixe o pé regressar lentamente à posição inicial.
Repita entre 8 e 12 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma. 


Reforço muscular dos gémeos

Em pé, apoiado numa cadeira, coloque-se em pontas dos pés. Desça lentamente até todo o pé apoiar no chão. Repita este movimentos entre 8 a 12 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.



Antes de iniciar estes exercícios você deve sempre aconselhar-se com o seu fisioterapeuta.

Twaddle BC, Poon P. Early motion for Achilles tendon ruptures: is surgery important? A randomized, prospective study. Am J Sports Med. 2007 Dec;35(12):2033-8.
Willits K, Amendola A, Bryant D, Mohtadi NG, Giffin JR, Fowler P, et al. Operative versus nonoperative treatment of acute Achilles tendon ruptures: a multicenter randomized trial using accelerated functional rehabilitation. J Bone Joint Surg Am. 2010 Dec 1;92(17):2767-75.

5 comentários:

Denio Duarte disse...

No blog tendaoaquiles.wordpress.com , conto a minha experiência de rompimento total do tendão de aquiles. É sempre bom encontrar material na Web a respeito. Parabéns.

Daniela Santos disse...

rompi meu tendao de aquiles do pe direito em junho de 2014 so soube que estava com o tendao rompido numa consulta pq estava sentindo muita dor na perna e puxava desde desse tempo a perna onde o medico pediu pra mim ficar na ponta dos pe e nao consegui no pe direito gostaria de saber se cirurgia e uma opção ainda pra mim pois estou perdendo por completo a força de subir em escadas e ladeiras nao tenho mais empuxo na perna direita gostaria de saber se tenho salvação ainda tive um rompimento parcial do tendao do pe direito

Daniela Santos disse...

rompi meu tendao de aquiles do pe direito em junho de 2014 so soube que estava com o tendao rompido numa consulta pq estava sentindo muita dor na perna e puxava desde desse tempo a perna onde o medico pediu pra mim ficar na ponta dos pe e nao consegui no pe direito gostaria de saber se cirurgia e uma opção ainda pra mim pois estou perdendo por completo a força de subir em escadas e ladeiras nao tenho mais empuxo na perna direita gostaria de saber se tenho salvação ainda tive um rompimento parcial do tendao do pe direito

Karol disse...

Boa tarde

Eu gostaria de saber si é possível realizar a cirurgia apos 4 anos de lesão?

Unknown disse...

Bom dia minha ruptura é de 3,8 x 1,0 cm fisioterapia vai ajudar na recuperação?

Enviar um comentário