quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Síndrome de dor patelo-femoral


A síndrome da dor patelo-femoral é o termo médico dado à dor na face anterior do joelho, que é proveniente da articulação patelo-femural (ou seja, a articulação entre a patela (rótula) e o fémur. A síndrome da dor patelo-femoral é geralmente associada à inflamação ou danos causados às estruturas articulares. Esta condição é mais frequente em adolescentes do sexo feminino, em operários com trabalhos fisicamente exigentes, e nos atletas. E pode ser causada por:
  • Mau Alinhamento da rótula. Se assim for, actividades vigorosas podem causar stress excessivo e consequente desgaste na cartilagem da rótula. Isso pode provocar dor no osso subjacente e irritação da articulação.
  • Problemas nos pés, como o pé plano ou andar com o pé em pronação, podem fazer com que o joelho sofra uma alteração de alinhamento, rodando para dentro e colocando mais pressão sobre a articulação patelo-femoral.
  • Lesões no joelho, incluindo pequenas lesões repetidas devido ao treino excessivo ou ao mau gesto técnico associado à laxidez ligamentar.
  • Uma diminuição da força muscular ou um desequilíbrio muscular no membro inferior pode contribuir para o agravamento desta síndrome, pois os músculos desempenham um papel importante ao absorver as tensões exercidas sobre o joelho.



Sinais e sintomas/ Diagnóstico

  • Dor ao redor do joelho. A dor é sentida na parte da frente e no interior do joelho. Muitas vezes é difícil identificar o local exacto, podendo ser descrita como uma dor vaga à frente do joelho.
  • A dor não é constante. É geralmente pior ao subir e descer escadas ou em alguns desportos. Além disso, pode ser provocada por ficar sentado por longos períodos.
  • Pode haver uma sensação de crepitação acompanhada do som de “estalos” do joelho à medida que este mexe.
  • Por vezes ocorre inchaço ao redor da rótula.
  • Padrão de marcha caraterístico

Uma boa avaliação, incluindo uma história clínica e exame atento do joelho são suficientes para diagnosticar a síndrome de dor patelo-femoral. Esta condição em si não é vista nos exames de imagem, como o raio-X ou RM, pelo que estes podem ser pedidos apenas para descartar outras patologias ou avaliar a extensão da danos na articulação.


Tratamento

         Os objectivos do tratamento numa primeira fase, consistem e controlar os sinais inflamatórios, através de:
Descanso: Evite caminhar ou estar muito tempo de pé. Se tiver de o fazer utilize canadianas. Andar a pé pode significar um agravamento da sua lesão.
Gelo: Aplique uma compressa de gelo na área lesada, colocando uma toalha fina entre o gelo e a pele. Use o gelo por 20 minutos e depois espere pelo menos 40 minutos antes de aplicar gelo novamente.
Compressão: um joelho elástico pode ser usado para controlar o inchaço.
Elevação: A perna deve ser elevada um pouco acima do nível do seu coração para reduzir o inchaço.
Analgésicos e anti-inflamatórios não-esteróides poderão ser receitados pelo médico para controlar o processo inflamatório e aliviar as dores.
Após este período, o tratamento irá incidir sobretudo no fortalecimento muscular e na reeducação do gesto desportivo ou da posição de trabalho. Algumas técnicas utilizadas são:
  • Exercícios de fortalecimento estático do quadricípite e glúteos. (Veja aqui um plano de exercícios específico)
  • Estimulação eléctrica funcional (FES) pode ser usada para estimular o músculo quadricípite.
  • Ligadura de tape para o realinhamento da rótula no sulco femural demonstrou ter efeitos positivos em jovens do sexo feminino entre os 10 e os 20 anos com este síndrome.
  • Progressivamente devem ser introduzidos exercícios em carga, como o leg press e agachamentos (nunca a mais de 90º de flexão do joelho).
  • Deve ser feita uma avaliação da biomecânica do paciente durante a caminhada e corrida para escolher o calçado, palmilhas ou órtoteses mais adequados para corrigir alguma falha mecânica que possa estar a causar os sintomas.

A cirurgia é pouco usada nestes casos. No entanto, pode ser útil para, por exemplo, liberar um ligamento tenso, de forma a corrigir o alinhamento da rótula.

Exercícios terapêuticos para a síndrome de dor patelo-femoral

Os seguintes exercícios são geralmente prescritos durante a reabilitação de uma síndrome de dor patelo-femoral. Deverão ser realizados 2 a 3 vezes por dia e apenas na condição de não causarem ou aumentarem os sintomas.


 Fortalecimento do quadricípite
Deitado, com um rolo sob o joelho. Contraia o músculo da coxa e perna de forma a esticar o joelho e puxar a ponta do pé para si.
Repita entre 8 a 12 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.


 

Fortalecimento dos quadricípites
Em pé, com a região lombar apoiada na bola e os pés ligeiramente afastados. Dobre os joelhos até aos 45o/60o, mantendo as costas alinhadas. Suba lentamente para a posição inicial.
Repita entre 8 a 12 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.



Alongamento do quadricípite
Em pé, apoiado. Agarre no pé da perna a alongar e aproxime-o o mais possível da bacia. Mantenha as costas alinhadas. Mantenha essa posição por 20 segundos.
Repita entre 5 e 10 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.
  


Antes de iniciar estes exercícios você deve sempre aconselhar-se com o seu fisioterapeuta.

Earl JE, Hoch AZ. A proximal strengthening program improves pain, function, and biomechanics in women with patellofemoral pain syndrome. Am J Sports Med. 2011 Jan;39(1):154-63.

6 comentários:

Gabriel Assis disse...

Dr.João Maia,no caso de pessoas que realizam exercícios como Cross fit,de certa forma,esses tipos de exercícios ''mais puxados'' podem levar a um aumento deste tipo de problema/lesão?

João Maia disse...

Caro Gabriel,

Embora o fortalecimento muscular seja importante nesta condição clínica, muitas vezes este tipo de desportos é desaconselhado durante o processo de recuperação pois existe o risco real de colocar sobre demasiada tensão estruturas já de si fragilizadas, podendo ter um efeito contraproducente.
De qualquer forma, no caso de não estar numa fase sintomática, regra geral segue-se o princípio de respeitar a dor: se não dói durante ou após é porque não está a comprometer significativamente.
Pode sempre complementar esse tipo de treino com um plano de exercícios mais específico (tem um link no artigo)

Cumprimentos

Gerlaine Alexandria disse...

Boa noite Doutor!!
Na academia , quais exercícios são proibidos enquanto houver a inflamação???

Evandro Pereira disse...

Boa tarde doutro. Tenho sentido esta dor há alguns dias, principalmente quando fico depois de ficar sentado e tentar caminhar. Suspeito que seja a síndrome, mas o médico ainda não deu diagnóstico. Devo fazer repouso total, não posso nem caminhar levemente?

João Paulo Lima disse...

Doutor João maia sofri um deslocamento de patela e meu médico pediu uma ressonância na qual teve a seguinte conclusão fratura avulsão da espinha tibial na inserção do ligamento cruzado anterior no qual encontra íntegro e síndrome patelo femoral ( conflito patelo femoral) qual o tratamento?

João Paulo Lima disse...

Doutor João maia sofri um deslocamento de patela e meu médico pediu uma ressonância na qual teve a seguinte conclusão fratura avulsão da espinha tibial na inserção do ligamento cruzado anterior no qual encontra íntegro e síndrome patelo femoral ( conflito patelo femoral) qual o tratamento?

Enviar um comentário