terça-feira, 2 de abril de 2013

Bursites ísquio-glúteas


A bursite é a inflamação de uma bolsa (um fino saco de líquido sinovial). Estas bolsas estão localizadas nos pontos de fricção, especialmente onde há tendões ou músculos que passam por cima do osso, e têm como principal função diminuir o atrito entre estas estruturas. Embora uma bolsa geralmente contenha muito pouco líquido, no caso de se lesionar pode inflamar e encher-se de líquido, causando a bursite.
Uma bursite ísquio-glútea consiste na inflamação da bolsa que se situa entre a tuberosidade isquiática (saliência óssea palpável atrás da coxa, a meio da prega glútea) e o tendão dos músculos isquio-tibiais. A inflamação da bolsa pode acontecer isoladamente, ou associada a uma tendinite dos isquio-tibiais, que apresenta os mesmos sintomas.
Esta condição é comum em ciclistas, pessoas que ficam sentadas por longos períodos de tempo e em superfícies duras ou, ainda, por perda de peso, com consequente perda da camada da protecção adiposa da nádega. 
-->

Sinais e sintomas/ Diagnóstico

  • Dor ocorre ao sentar e caminhar.
  • Sensibilidade na região do osso púbico, que pode ser agravada pela flexão da perna.
  • A dor poderá irradiar para baixo e para a parte de trás da coxa.
  • A pressão directa sobre a zona média da prega glútea provoca dor aguda.
  • Dor ao alongamento dos isquio-tibiais.
  • A pessoa pode ter dificuldade em ficar em ponta do no lado afectado.

Uma boa avaliação, incluindo uma história clínica e exame atento da anca, coxa e costas são necessários para ajudar a diagnosticar uma bursite isquio-glútea. No entanto, pela semelhança de sintomas com a tendinopatia na inserção proximal dos isquio-tibiais e, muitas vezes, com a dor ciática, o médico deverá pedir exames adicionais, como ecografias e raio-X ou RM à anca e à coluna lombar de forma a confirmar o diagnóstico. 
-->

Tratamento

       A maioria dos pacientes com bursite isquio-glútea reage bem ao tratamento com fisioterapia. O tratamento, no caso de ser uma lesão aguda, tem como objectivo inicial controlar os sinais inflamatórios, através de:
Descanso: Evite caminhar e estar muito tempo de pé ou sentado. Andar a pé pode significar um agravamento da sua lesão. Se o seu trabalho obrigar a longos períodos de tempo sentado, acrescente uma almofada macia à sua cadeira
Gelo: Aplique uma compressa de gelo na área lesada, colocando uma toalha fina entre o gelo e a pele. Use o gelo por 20 minutos e depois espere pelo menos 40 minutos antes de aplicar gelo novamente.
Analgésicos e anti-inflamatórios não-esteróides poderão ser receitados pelo médico para controlar o processo inflamatório e aliviar as dores.
Assim que os sintomas diminuírem, deve ser iniciado um programa de fisioterapia. As técnicas que revelam maior eficácia nesta condição:
  • Educação do paciente sobre posições e movimentos a evitar durante o processo de reabilitação.
  • Exercícios de alongamento progressivo dos isquio-tibiais, desde que não provoque dor.
  • Aplicação de ultra-som e TENS poderá ser benéfica para aliviar a dor.
  • Exercícios de fortalecimento dos músculos da coxa serão necessários para o retorno à actividade e para diminuir o risco de recidivas.
  • A aplicação de gelo no final dos exercícios para prevenir sinais inflamatórios.

Caso nenhuma destas intervenções for eficaz, injecções de uma mistura de corticosteróides e anestésicos locais aplicadas na zona inflamada por um ortopedista poderão aliviar a dor e a inflamação, no entanto a sua acção é apenas temporária.

Exercícios terapêuticos para as bursites ísquio-glúteas

Os seguintes exercícios são geralmente prescritos durante a reabilitação de uma bursite ísquio-glútea. Deverão ser realizados 2 a 3 vezes por dia e apenas na condição de não causarem ou aumentarem os sintomas.

 

Alongamento dos isquiotibiais
Em pé, com o calcanhar apoiado num degrau, incline o tronco à frente mantendo as costas alinhadas. Mantenha essa posição durante 20 segundos.

Repita entre 6 e 12 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.




Alongamento da inserção dos isquio-tibiais e glúteo.
Deitado, com o fundo das costas bem apoiado e as mãos no joelho. Tente chegar o joelho o mais próximo do peito possível. Alivie lentamente a pressão.
Repita entre 5 e 10 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.




Fortalecimento dos isquio-tibiais
Deitado, com o elástico preso atrás do calcanhar. Puxe o pé para si e deixe-o voltar lentamente à posição inicial.
Repita entre 8 e 12 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.



Antes de iniciar estes exercícios você deve sempre aconselhar-se com o seu fisioterapeuta.



1 comentário:

Geraldo disse...

Muito bom o sue blog, João. Parabéns. Um abraço do colega brasileiro.

Enviar um comentário