quarta-feira, 24 de abril de 2013

Dicionário Saúde e Fisioterapia

ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ

C

Cinemática 1. descrição do movimento em termos de posição, velocidade e aceleração; 2. Descrição do tipo, quantidade e direção do movimento; não inclui as forças que produzem o movimento; 3. Cines. parte da mecânica que estuda os movimentos sem se referir às forças que os produzem ou às massas dos corpos em movimento.
Cineplastia operação plástica que consiste em modelar um coto de amputação, de modo a utilizar os tendões musculares com objectivo de vir a utilizar um aparelho de prótese articulada.
Cinesia movimento.
Cinesiologia 1. estudo do movimento; 2. estudo da mecânica do movimento humano, em especial as ações dos músculos.
Cinesioterapia analítica localização de movimento num segmento, a partir de um trabalho efetivo de um músculo ou de um grupo muscular. São exercícios analíticos, localizados, de forma passiva, ativa, de alongamento e fortalecimento.
Cinesioterapia articular manipulações ou micromobilizações de determinada articulação que sofreu uma alteração biomecânica; p. ex., osteopatia, quiropraxia, Maitland, Mulligan.
-->
Cinesioterapia de facilitação e inibição exercícios terapêuticos e técnicas de estimulação proprioceptiva e tátil utilizados em fisioterapia, que visam a estimular e/ou inibir o sistema neuromusculoesquelético, tratando o SNP devido a lesões traumáticas e cirurgias; e alterando movimentos e padrões posturais anormais devidos à lesão do SNC; p. ex., método de facilitação neuromuscular proprioceptiva e conceito Bobath.
Cinesioterapia de Williams é uma série de exercícios ativos livres indicados para dores lombares causadas por encurtamentos ou contraturas musculares; consta de alongamentos e fortalecimentos para músculos de algumas partes do corpo, como os do abdómen, coluna vertebral, coxas e pernas.
Cinesioterapia global tipo de exercício aplicado em toda a musculatura do corpo, integrando as sinergias musculares e as compensações, de maneira funcional. Os métodos de cadeias musculares são RPG, SGA, Rolfing e Leopold Busquet.
Cinesioterapia respiratória visa a melhorar as condições da mecânica respiratória de pacientes de fisioterapia que apresentam hipo ou hiperventilação pulmonar, debilidade muscular respiratória, incoor­denação respiratória, respiração bucal ou qualquer padrão de ventilação espontânea que levem a uma desvantagem mecânica e, consequentemente, a um suprimento de oxigénio insatisfatório.
Cinestesia termo usado para a capacidade do paciente em detectar mudanças posicionais; sentido e percepção dos movimentos dos músculos do corpo; é dada pelas posições das articulações.
Cinética 1. estudo das forças que provocam o movimento; 2. descrição do movimento que inclui a consideração de força como causa de movimento; 3. Cines. área de estudo que examina as forças que agem sobre um sistema, como corpo humano ou qualquer objeto;
Cinto pélvico ponto usado para manter a posição ideal da pélvis enquanto sentado. Este cinto também pode ser usado para segurança, a fim de evitar que uma criança caia da cadeira.
Círculo de Willis união das artérias cerebrais anterior e posterior (ramos da artéria carótida), formando-se uma anastomose na base do cérebro. Também designado círculo arterial do cérebro.
-->
Circundação movimento circular da perna em balanço, envolvendo os movimentos (do quadril) de abdução, rotação externa, adução e rotação interna. Este desvio da marcha pode ser usado para compensar a flexão inadequada do quadril ou joelho e/ou dorsiflexão insuficiente.
Cirurgia plástica em Z (Zetaplastia) procedimento usado para alongar cirurgicamente uma contratura por cicatriz de queimadura, permitindo maior amplitude de movimentos.
Cisalhamento 1. é uma deformidade causada por forças cortantes, paralelas ou em sentido contrário; 2. modo de formação de um tipo de fratura em que os planos paralelos de um corpo ou estrutura, deslizam horizontalmente uns sobre os outros.
Citoesqueleto conjunto de estruturas que proporciona a estrutura física para a interação das proteínas contráteis.
Citotóxico relativo ao efeito tóxico sobre as células, provocando lesão ou morte celular.
Claudicação assimetria da marcha devida ao encurtamento de um membro inferior, a uma anquilose ou a uma lesão dolorosa unilateral.
Claudicação intermitente cãibras nos músculos após curtos períodos de exercício; é vista frequentemente em pacientes com distúrbios arteriais oclusivos.
Claudicar não ter firmeza nos pés, coxear, mancar.
Clearance limpeza das vias aéreas.
Cleidotomia secção da clavícula. Em Obstetrícia, a secção da clavícula do feto é, às vezes, praticada para facilitar a extração quando a bacia é anormalmente estreita.
Clinodactilia deformidade congénita em angulação lateral ou medial do dedo. É mais comum na falange média e no dedo mínimo; tem forte traço hereditário.
Clónus 1. contração e relaxamento repetitivo de músculos, resultantes de falta de inibição do reflexo de estiramento normal. Por exemplo: numa pessoa com lesão da medula espinhal ou paralisia cerebral, os "golpes" repetitivos característicos em um membro inferior quando o pé está apoiado são causados pelo clónus no tornozelo; 2. contração muscular involuntária, ocorrida no tríceps sural (barriga da perna), onde, após estímulo dado no sentido de realizar a dorsi-flexão e mantendo-se o mesmo grupo muscular em questão, desenvolve padrão com movimentos repetitivos de dorsi-flexão e flexão plantar.
Coaptação 1. pressão através de uma articulação. Técnica fisioterapia destinada a estimular o tónus e a dar feedback proprioceptivo numa articulação; 2. Cinesiot. manobra de aproximação entre duas estruturas ósseas com finalidade de proporcionar aferências proprioceptivas para o SNC em lesões do sistema musculoesquelético.
Coativação ativação simultânea dos músculos numa articulação; usualmente, descreve atividade nos músculos agonistas e antagonistas.
Coccidínia dor muita viva na região do cóccix, exacerbada pela posição sentada e pela defecação, quase sempre de origem traumática (queda ou contusão do cóccix), às vezes consecutiva ao parto.
Co-contração 1. Cinesiot. contração simultânea de músculos, tanto agonistas como antagonistas; 2. ativação simultânea dos agonistas e antagonistas com o objetivo de nos dar mobilidade com estabilidade. Potencia o tónus postural normal, isto é, forte o suficiente para opor-se à gravidade, mas não demasiado forte. Isso torna possíveis os movimentos suaves, graduados e coordenados.



ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ

Sem comentários:

Publicar um comentário