quarta-feira, 14 de Novembro de 2012

Método McKenzie - trate você mesmo a sua coluna


 O método McKenzie de diagnóstico e terapia mecânica é um sistema de classificação e tratamento para pacientes com dor lombar, e foi desenvolvido em 1981 por Robin McKenzie, um fisioterapeuta da Nova Zelândia.

A abordagem segundo o método McKenzie pode ser dividida em 3 etapas: avaliação, tratamento e prevenção.
A avaliação baseia-se no registo de uma relação consistente de causa-efeito, tanto a partir da história do comportamento da dor, quanto da resposta da dor ao teste de movimentos repetidos e posições mantidas. Aplicando uma progressão sistemática de forças mecânicas (causa), o fisioterapeuta utiliza a resposta da dor (efeito) para monitorizar as alterações no movimento e na função. O distúrbio subjacente pode então ser identificado rapidamente através dos achados objetivos do exame de cada paciente.
A resposta sintomática mais comum e significativa é a Centralização, fenómeno em que a dor irradiada, originária da coluna, regride progressivamente em direção à linha média da coluna e é eliminada, em resposta à aplicação deliberada de estratégias de carga.

A centralização indica a chamada "direção de preferência", ou seja, aquela em que se deve aplicar o movimento terapêutico. Esse movimento pode ser flexão, extensão, inclinação lateral ou rotação, ou uma combinação destes.

O Diagnóstico Mecânico de McKenzie, determinado a partir da avaliação, classifica os pacientes com apresentações mecânicas similares em subgrupos bem definidos (síndromes) para determinar o tratamento adequado. McKenzie identificou três síndromes mecânicas a que chamou: Síndrome de Desarranjo, Síndrome de Disfunção e Síndrome Postural.

  • Síndrome de Desarranjo - deformação mecânica causada por rutura anatómica ou deslocamento dentro do segmento do movimento, resultando em dor e limitação funcional
  • Síndrome de Disfunção - deformação mecânica de tecidos moles limitados estruturalmente (cicatriz, fibrose, aderência, encurtamento adaptativo) causando dor e limitação funcional
  • Síndrome Postural - deformação mecânica de tecidos moles normais causada por stress postural prolongado e resultando em dor

Cada síndrome é abordada de acordo com a sua natureza única, com procedimentos mecânicos específicos, utilizando movimentos repetidos e posições mantidas. A Síndrome de Desarranjo, em que o fenómeno da Centralização ocorre, é a mais comum.

O tratamento McKenzie compreende a definição, implementação e supervisão das estratégias a serem aplicadas a cada caso específico.
Os achados da história e do exame físico permitem enquadrar o paciente numa das síndromes mecânicas ou num diagnóstico não-mecânico. A partir dessa classificação, é definido o princípio de tratamento, ou seja, a direção da força a ser utilizada: flexão, extensão ou desvio lateral. Cada princípio de tratamento é aplicado seguindo uma progressão de forças geradas inicialmente pelo paciente e, se necessário, pelo terapeuta.

A abordagem McKenzie enfatiza a educação e o envolvimento ativo do paciente. O componente educacional dá ao paciente informação sobre o seu problema, de acordo com suas preocupações e necessidades; e sobre o papel que o exercício tem na restauração da função normal. No componente de terapia mecânica ativa, ensina-se ao paciente como fazer os exercícios específicos, as posições e as correções da postura estática e dinâmica que se mostraram, durante a avaliação mecânica, como tendo efeito terapêutico direto. Os pacientes também aprendem a evitar, durante o tratamento, os movimentos, posturas e atividades que claramente pioram a sua condição.

Para problemas mais complexos, o auto-tratamento pode não ser suficiente. Nesse caso, o fisioterapeuta  aplica técnicas complementares ao Método McKenzie® (terapia manual) para acelerar o processo de recuperação.

Exemplos de alguns exercícios de auto-tratamento do método McKenzie:

 1) Posição de repouso sobre compressa fria


2) Movimento de Esfinge


3) Extensão da coluna em pé


 
4) Desvio lateral da pélvis

Uma parte essencial do Método McKenzie® é educar e estimular o paciente para que este melhore a sua capacidade de cuidar da sua saúde, prevenindo ou diminuindo o número de novos episódios de dor lombar, encurtando sua duração, diminuindo a necessidade de procurar tratamento e de se ausentar do trabalho.



3 comentários:

Cleonice Magalhaes disse...

Gostei ,e foi util estas informaçoes,mas gostaria de ter mais informaçoes de como me cuidar, pois tenho hernia cervical(c5-c6) a qual tem me causado dores interminaveis.tenho feito fisioterapia,acumputura,e continuo a sentir dor que irradia pelo braço esquerdo.desde ja agradeço..

Marcella Lira disse...

Era o que eu estava procurando,texto com palavras claras,brandas.
Gostei!
Agradecida!!!

cinema raro disse...

Cuidado, pessoal, com o Método Mackenzie! Ele pode não ser indicado para alguns casos. Iniciei tratamento com fisioterapeuta credenciado pelo Instituto Mackenzie que me prescreveu exercício para minha hérnia de disco lombar extrusa. Fiz o exercício corretamente à risca e sentir dores ao final, com retorno da irradiação. Relatei ao fisioterapeuta que de imediato suspendeu o exercício, mas passou outro diferente. Fiz este outro e a dor voltou para outra região, com mais irradiação. Tive que tomar analgésico que antes não tomava. Cancelei meu tratamento pois meu caso piorou com o método Mackenzie que, embora seja confirmada sua eficiência e eficácia em boa parte do casos, pode ser prejudicial para alguns outros como eu.

Enviar um comentário