segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Cancro da Mama


O tecido mamário está ligado ao músculo da parede torácica. A mama é composta por:
  • Muitos Lóbulos, que são compostos de tecido glandular. São responsáveis pela produção de leite após a gravidez.
  • Ductos, os canais que levam o leite dos lóbulos ao mamilo.
  • Tecido adiposo e tecido conjuntivo de suporte.
  • Vasos sanguíneos, canais linfáticos e nervos (como qualquer outra área do corpo).

O cancro da mama é um dos cancros mais comuns. Cerca de um em cada nove mulheres desenvolve cancro da mama em algum momento da sua vida. A maioria desenvolve-se em mulheres acima de 50 anos de idade, mas as mulheres mais jovens também são afectadas. O cancro da mama também pode ocorrer nos homens, embora isso seja raro. Este tipo de cancro cresce a partir de uma célula cancerosa que se desenvolve no revestimento de um ducto ou lóbulo de uma das mamas.
Existem alguns "subtipos" de cancro da mama, que são importantes para saber qual o tratamento e prognóstico de recuperação. De seguida tem um resumo dos principais subtipos, no entanto, o seu especialista será capaz de lhe dar mais detalhes quanto ao tipo exacto de cancro que tem.
Invasivos ou 'in situ'
A maioria dos cancros da mama é diagnosticada quando o tumor tem crescido a partir de um ducto ou lóbulo no tecido mamário circundante. Estes são chamados cancros da mama "invasivos". Estes podem ser divididos entre aqueles onde as células cancerosas já invadiram os vasos sanguíneos ou linfáticos locais e aqueles que não.
Algumas pessoas são diagnosticadas precocemente, quando as células cancerosas estão ainda circunscritas ao ducto ou lóbulo. Estes são chamados de "carcinoma in situ". O Carcinoma ductal in situ (CDIS) é o tipo mais comum de cancro da mama não-invasivo, cerca de 1 em cada 5 novos casos de cancro da mama serão CDIS. O carcinoma in situ é mais fácil de tratar e tem melhor prognóstico que o cancro invasivo
O grau das células cancerosas
Ao olhar para certas características das células cancerosas podem ser "graduados". Grosso como funciona como um guia, quanto menor o grau, mais susceptível é o cancro a responder bem a tratamentos como a quimioterapia e radioterapia.
Grau 1 - as células cancerosas tendem a ser de crescimento lento e menos "agressiva".
Grau 2 - é um grau médio.
Grau 3 - as células cancerosas tendem a ser de crescimento rápido e mais "agressiva".
Presença de receptores
Algumas células de cancro da mama têm receptores, que permitem que certos tipos de hormonas ou proteínas se anexem à célula cancerosa. Os tipos de receptores testados são:
Hormonas. Testes numa amostra de células do cancro da mama pode demonstrar se elas contêm receptores de estrogénio. Globalmente, de cerca de 7 em cada 10 cancros da mama são receptores de estrogénios positivos.
HER2. Algumas células de cancro da mama têm receptores para uma proteína conhecida como HER2. Cerca de 2 em cada 10 cancros da mama são HER2 positivo.
Estadio do cancro
Isso não descrever o tipo de cancro, mas descreve o quanto o cancro cresceu e se espalhou. Como regra geral, quanto mais cedo o estadio, melhor é o prognóstico.
-->

Sinais e sintomas/ Diagnóstico

Um nódulo na mama
O primeiro sintoma comum é um nódulo indolor na mama. Nota: a maioria dos nódulos da mama não é cancerosa, são quistos cheios de fluido ou fibroadenomas (a aglutinação de tecido glandular), que são benignas. No entanto, deve sempre consultar um médico se notar um nódulo na mama
Outros sintomas que podem ser notados no peito afectado incluem:
  • Mudanças no tamanho ou formato da mama.
  • Covinhas ou espessamento de parte da pele numa parte da mama.
  • O mamilo fica invertido (gira para dentro).
  • Raramente, uma descarga de um mamilo ocorre (que pode conter vestígios de sangue).
  • Um tipo raro de cancro da mama provoca uma erupção em torno do mamilo, que pode ser semelhante a uma pequena mancha de eczema.
  • Raramente, dor no peito.

A primeira zona para onde o cancro da mama geralmente se alastra é para os gânglios linfáticos na axila. Se isto ocorrer você pode desenvolver um inchaço ou nódulo na axila. Se o cancro se espalha para outras partes do corpo, vários outros sintomas podem desenvolver-se.
Se você desenvolver um nódulo ou sintomas que podem ser de cancro da mama, um médico irá examinar as suas mamas e axilas para procurar quaisquer protuberâncias ou outras alterações. Normalmente será encaminhada para um especialista se houver suspeita de cancro. Por vezes, uma biopsia de um caroço óbvio é realizada de imediato, mas outros exames podem ser feito primeiro, tais como:
  • Mamografia. É um raio-X do tecido mamário, que pode detectar mudanças na densidade do tecido mamário que podem indicar um tumor.
  • A ecografia da mama.
  • Ressonância magnética das mamas. Isso é mais comummente realizado em mulheres mais jovens, especialmente aquelas com um forte histórico familiar de cancro da mama.
  • Por último, e antes de decidir o tratamento deve ser realizada uma biopsia do tecido afectado.

-->

Tratamento

As opções de tratamento que podem ser consideradas incluem a cirurgia, quimioterapia, radioterapia e tratamento hormonal. Muitas vezes, uma combinação de dois ou mais destes tratamentos são utilizados. Os tratamentos utilizados dependem:
Do cancro em si - o tamanho e o estadio, o grau das células cancerígenas, e se é sensível ou contém receptores HER2;
Da mulher com o cancro - sua idade, se está na menopausa, saúde geral e preferências pessoais para o tratamento.
Cirurgia
Os tipos de operação que podem ser considerados são:
Cirurgia conservadora da mama. Isso geralmente é uma opção caso o tumor não seja muito grande. Uma tumorectomia é um tipo de operação onde apenas o tumor e algum tecido circundante é removido. É usual fazer radioterapia após esta operação. O objectivo é matar as células cancerosas que podem ter sido deixadas no tecido mamário.
A remoção da mama afectada (mastectomia). Isto pode ser necessário se houver um grande tumor ou um tumor no meio do peito. Muitas vezes, é possível fazer uma cirurgia de reconstrução mamária para criar uma nova mama após uma mastectomia. Isso muitas vezes pode ser feito no momento da mastectomia, embora também possa ser feita meses ou anos depois. Hoje em dia existem muitos tipos diferentes de operações de reconstrução disponíveis.
Seja qual for a operação é também comum a remoção de um ou mais dos gânglios linfáticos da axila.
Radioterapia
A radioterapia é um tratamento que utiliza feixes de radiação de alta energia focados sobre o tecido canceroso. Isso mata as células cancerosas, ou pára a multiplicação das células cancerosas.
Para o cancro da mama, a radioterapia é usada principalmente como complemento da cirurgia.
Quimioterapia
A quimioterapia é um tratamento do cancro que utiliza medicação “anti-cancro” que mata as células cancerosas, ou as impede de se multiplicarem. Quando a quimioterapia é utilizada como complemento da cirurgia é conhecida como “quimioterapia coadjuvante”. O objectivo é matar as células cancerosas que se podem ter espalhado a partir do local do tumor principal. A quimioterapia é aplicada por vezes antes da cirurgia para diminuir o volume do tumor, para que a cirurgia possa ter uma melhor hipótese de sucesso.
O tipo de quimioterapia aplicada depende do tipo de cancro. Novos testes genéticos estão a ser desenvolvidos para ajudar os médicos a decidir quais as mulheres que mais vão beneficiar da quimioterapia.
Tratamentos hormonais
Alguns tipos de cancro da mama são afectados pelo estrogénio e progesterona. Estas hormonas estimulam e divisão e multiplicação das células cancerígenas. Tratamentos que reduzem o nível dessas hormonas, ou as impeçam de actuar sobre o cancro, são comummente usados em pessoas com cancro da mama.
Trastuzumab (Herceptin)
Trastuzumab (também conhecido como Herceptin) é um tratamento que pode ser administrado a mulheres que têm um grande número de receptores HER2 no cancro. É um tipo de medicamento chamado um anticorpo monoclonal. Ele funciona ligando-se a receptores da proteína HER2 na superfície das células do cancro da mama, parando assim a divisão e multiplicação de células cancerosas.

Exercícios terapêuticos para a recuperação do cancro da mama

Os seguintes exercícios poderão ser prescritos durante a recuperação pós-cancro da mama. Deverão ser realizados 2 a 3 vezes por dia e apenas na condição de não causarem ou aumentarem os sintomas.


 

Mobilização do plexo braquial
Em pé, com a mão apoiada na parede atrás de si. Estique o cotovelo e incline e rode a cabeça para o lado contrário ao que está a mobilizar.
Repita entre 15 e 30 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.



Mobilização da cintura escapular
Em pé, com as costas alinhadas e o ombro posicionado para baixo e para trás. Vá subindo com a mão pela parede, ao mesmo tempo mantenha a posição do ombro, em baixo e para trás.
Repita 15 a 30 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.



Alongamento dos peitorais
Em pé, perpendicular à parede. Colocar o ombro a 90o e o antebraço apoiado na parede atrás do tronco. Mantendo o braço na posição, rode ligeiramente o tronco para a frente. Mantenha a posição durante 20 segundos.
Repita entre 5 a 10 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.




-->
Antes de iniciar estes exercícios você deve sempre aconselhar-se com o seu fisioterapeuta.

Sem comentários:

Enviar um comentário