terça-feira, 23 de outubro de 2012

Contractura de Dupuytren

A contractura de Dupuytren é uma patologia que afecta as mãos e dedos. Por vezes é chamada de doença de Dupuytren, porque nem todos os pacientes irão desenvolver contracturas.
De inicio observa-se um espessamento de tecido fascial sob a pele na palma da mão. À medida que a doença progride a retracção dos tecidos pode “puxar” os dedos, involuntariamente e de forma permanente, para flexão.
Normalmente, o dedo anelar é afectado primeiro, depois o dedo mindinho e só depois o dedo médio. Esta condição é de progressão lenta e demora meses ou anos para formar uma contractura que afecte a normal função dos dedos.
A contractura de Dupuytren não causa dor. O principal problema é que, se permitir que a patologia se desenvolva, poderá perder a capacidade de usar os dedos afectados correctamente. Geralmente, as duas mãos são afectadas.
Algumas pessoas com contractura de Dupuytren têm tecido espessado sob a pele em outras partes do corpo. Por exemplo, um espessamento nos nós dos dedos, nas solas dos pés, ou no pénis.
As causas para a contratura de Dupuytren não são conhecidas. No entanto sabe-se que não é causada por traumatismos ou por uso excessivo da mão. Existem factores que colocam as pessoas em maior risco de desenvolver uma contractura de Dupuytren.
  • É mais comum em descendentes do Norte da Europa (Ingleses, irlandeses, escoceses, franceses, holandeses) ou escandinavos (suecos, noruegueses, finlandeses).
  • Muitas vezes ocorre em famílias (hereditário).
  • Pode ser associada ao consumo de álcool.
  • É associada a determinadas condições médicas, como diabetes e epilepsia.
  • A sua frequência aumenta com a idade.

-->

Sinais e sintomas/ Diagnóstico

Os sintomas da contractura de Dupuytren geralmente evoluem muito gradualmente.
  • Nódulos. Um ou mais pequenos e sensíveis nódulos formam-se na palma da mão. Ao longo do tempo, a sensibilidade geralmente desaparece.
  • Faixas de tecido. Os nódulos podem engrossar e contracturar, formando cordões resistentes de tecido sob a pele.
  • Dedos curvos. Um ou mais dedos dobram-se involuntária e permanentemente em direcção à palma da mão.

Uma boa avaliação, incluindo uma história clínica e exame atento do punho, mão e dedos, é geralmente suficiente para o diagnóstico de uma contractura de Dupuytren.
-->

Tratamento

Não há nenhuma maneira de parar ou tratar definitivamente uma contractura de Dupuytren. No entanto, esta não é uma condição que coloque em risco a saúde geral do paciente. Estas contracturas geralmente progridem muito lentamente e pode nunca progredir para além protuberâncias na palma da mão.
Se a doença progredir, o tratamento conservador pode contribuir para retarda-la, através de:
  • Exercícios de alongamento activo mantido da fáscia palmar.
  • Órteses ou talas: a sua eficácia nesta condição é bastante discutível, pelo que estão a deixar de ser utilizadas.
  • As injecções de cortico-esteróides proporcionam alívio dos sintomas, no entanto estes tendem a voltar entre 3-6 meses após a injecção.

Nos casos em que o tratamento conservador falha e em que:
  • Existe uma contractura de 30-40° ou mais na articulação entre a palma da mão e o dedo (metacarpofalangicas).
  • Existe uma contractura de 10-20° ou mais entre uma das pequenas articulações do dedo.

A cirurgia pode ser recomendada. A Cirurgia para contractura de Dupuytren divide ou remove as faixas de tecido engrossado para ajudar a restaurar o movimento do dedo. Por vezes a incisão é deixada aberta e para permitir que cure gradualmente, em posição de estiramento. Um excerto de pele pode ser necessário.
Recuperação. Algum inchaço e dor são esperados após a cirurgia, mas os problemas graves são raras. Após a cirurgia, deverá elevar a mão acima do nível do coração e ir movendo os dedos suavemente para ajudar a aliviar a dor, inchaço e rigidez. A fisioterapia pode ser útil durante a recuperação após a cirurgia. Exercícios terapêuticos específicos podem ajudar a fortalecer as suas mãos e ajudá-lo a recuperar a mobilidade os dedos.
Recorrência. Aproximadamente 20% dos pacientes apresentam algum grau de recorrência, o que pode exigir nova cirurgia.

Exercícios terapêuticos para a contractura de Dupuytren

Os seguintes exercícios são geralmente prescritos durante a reabilitação de uma contractura de Dupuytren. Deverão ser realizados 2 a 3 vezes por dia e apenas na condição de não causarem ou aumentarem os sintomas.

Alongamento dos extensores do punho
Em pé ou sentado, estenda o braço para a frente alinhado com o ombro, com a palma da mão virada para si. Com a outra mão puxe os dedos em direcção a si. Mantenha a posição durante 20 segundos.
Repita entre 5 e 10 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.


Alongamento dos flexores do punho
Em pé ou sentado, estenda o braço para a frente alinhado com o ombro, com a palma da mão virada para a frente. Com a outra mão puxe os dedos em direcção a si. Mantenha a posição durante 20 segundos.
Repita entre 5 e 10 vezes, desde que não desperte nenhum sintoma.


 Propriocepção do punho
Agarrando uma bola na mão, faça movimentos circulares com o punho enquanto pressiona a bola.
Repita entre 20 e 30 movimentos, desde que não desperte nenhum sintoma.



Antes de iniciar estes exercícios você deve sempre aconselhar-se com o seu fisioterapeuta. 

Sem comentários:

Publicar um comentário